sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Há braços!



Júnior Landim

É difícil traduzir para o papel o significado de um abraço. Acredito ser um gesto tão antigo quanto sorrir ou chorar. É a intenção mais pura de dizer ao outro o quanto gostamos dele ou o quanto sentimos sua falta ou iremos sentir.

Em vários momentos da vida, tudo o que precisamos ou queremos é um demorado abraço. Mas nem sempre nos permitimos pedi-lo. O ato, se avaliado com razão e frieza, é um tanto estranho. Dois corpos que se encontram e se apertam por alguns segundos.

Funciona para tudo e com todos. Crianças com crianças. Adultos com crianças. Adultos com adultos. Homens com homens e mulheres com mulheres. É universal!

Abraço. Acontece com braços e o ponto alto é o coração com coração. Troca de energia ou reposição dela. Abraço, talvez um derivado de cuidar, bem querência.

Abraço, Para acontecer, precisa do fator mais importante, gente, ou não existe. Abraço, talvez a melhor maneira de dizer "eu te amo", em silêncio.

Nenhum comentário: