sábado, 9 de maio de 2015

Fluxo perfeito



Matheus Doncev

Ela magra, de baixa estatura e extrovertida. Ele magro, baixo e extrovertido. Por amigos em comum, se encontraram em um show de rock, aqui na Baixada Santista. Logo ele percebeu algo diferente de todas as outras garotas que estavam na roda de amigos: a vontade de ser quem realmente é. Curtiu, pulou, dançou. Passaram horas conjuntas conversando até combinarem algo para o dia seguinte, um sábado.

O tempo sobrava para conversas que tornaram a amizade maior. Como alguns amigos costumam dizer, ela era uma brother de peitos. Partilhavam histórias diferentes sobre suas vidas particulares, que causavam risos.

Ela é bem inteligente, reservada, determinada. Ninguém atrapalha sua vontade. Ela quer, ela vai ter. Se você não quer ter com ela, vaza! Ela o acalmava. Sempre esquentado, ele se perdia em sangue quente para que depois fosse desabafar com ela. Geralmente conversas sobre as mulheres dele.

Ficaram mais próximos. Quando ela o apresentou à família, ele quebrou o clima com uma brincadeira de que não era amizade e que haveria uma lua de mel em Paris.

“E se...¿”, ele pesou.

O final de ano foi turbulento para ambos, cheio de reviravoltas. As coisas mudaram. O “e se tudo mudasse” estava acontecendo. As pessoas não os viam mais como um simples casal de amigos, mas sim um casal. Estava explícita na forma de andar de mãos dadas. Em uma noite, depois de tantos dias de espera, um beijo aconteceu.

A brother de peitos virou polícia. Digo, namorada. Ela dizia que era para ser única, mostrava o desejo em estar ao lado. Mostrou um lado diferente. Chefona, teimosa, amorosa. Não pede, manda. E ai de você se sair da linha... Demorar para responder mensagem é uma passagem para o mundo da suas negas. A não satisfação do sumiço se resume em “estava com as suas negas”. Usa o passado a seu favor, mostra que com ela não tem boi.

Ele virou um bobo apaixonado. O jeito explosivo causou desandadas no relacionamento. Teimosia dos dois lados faz cabeças duras colidirem. Tudo ficou cinza, normal. Términos e voltas, amores e ódios, sorrisos e lágrimas. Um relacionamento que prova que amar não é simples. Mas se é por alguém que vale a pena, ainda assim é um fluxo perfeito.

Obs.: 3º texto a partir do curso "Escrita Criativa", ministrado no Espaço Certo, em Santos/SP. 


Nenhum comentário: