sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Filha pródiga


Beth Soares

Depois de olhar para ela milhares de vezes, seu cheiro de juventude ainda me fascina. Meus olhos ainda se enchem de alegria ao tocarem suas cores. Todas as memórias da minha vida se misturam à sua história. Mas nada que eu diga, nada que eu sinta é suficiente para fazê-la olhar para mim com um pouco de misericórdia.

Desde o dia em que decidi traí-la, com sua irmã de sangue, ela me deu as costas. Pedi perdão. E senti na pele o silêncio glacial do desprezo, tão distante do calor com que tantas vezes ela me afagou. Tantos anos de cumplicidade, destruídos por um simples deslize. Erro que não cometi por vontade própria, mas por força das circunstâncias. Queria liberdade, independência. Olhei em meus bolsos e não encontrei o suficiente para permanecer em seus braços. Ela exigia demais de mim. Soberba, queria sempre mais ouro, e nenhum esforço que eu fizesse era suficiente para saciá-la. Não pude pagar seu preço. Ainda não posso.




Meu maior castigo é ter que encará-la todos os dias. O destino, irônico, pregou-me uma peça: fez dela minha patroa. Do alto de seu ar esnobe, ela me olha ao mesmo tempo linda e intocável, como uma miragem. E, mesmo assim, dói ter que deixá-la todas as noites, exausta após horas de trabalho e estudo, dedicadas a seu favor. Com um aperto no peito, ressentida pela forma como esta ingrata insiste em me tratar, eu volto para um lar no qual nunca terei seu aconchego. E me levanto amanhecer após amanhecer, com a mesma vontade de lutar para em algum momento voltar a merecê-la.

Sonho com seu perdão, com o dia em que, sob uma chuva fina, ela me receberá novamente, com os braços abertos. Sonho com uma brecha de humildade e gratidão em sua carapaça de concreto, pois sei que lá no fundo existe uma alma de artista, composta de alegria e doçura, com cheiro de maresia. Sonho em poder voltar para ti, Santos, minha terra adorada.

Obs.: Texto publicado, originalmente, no blog Poesia Cotidiana, em 22 de setembro de 2011. 

2 comentários:

Depassagempelosnossosestúdios disse...

Lindo texto Beth, sabe que sou sua fã...seus textos são bem poéticos e dão uma curiosidade e nos levam a tentar descobrir e imaginar do que se trata... dão um certo mistério para mim é claro e depois que descubro vejo que tem tudo a ver!

Parabéns! abraços
maura

Depassagempelosnossosestúdios disse...

Lindo Texto Beth,sabe que sou sua fã. Seus textos são bem poéticos e dão uma curiosidade e nos levam a tentar descobrir e imaginar do que se trata...dão um certo mistério para mim é claro,e depois descubro e vejo que tem tudo a ver!

Parabéns! abraços
Maura