sábado, 22 de dezembro de 2012

Alugo-me para o Natal


Estimulado por um colega comerciante, esperançoso por vendas, e movido à compaixão por ver a tortura contra os Papais Noéis de shopping, resolvi entrar no mercado natalino. Mas não tenho o tino comercial do meu colega. Poderia encarar a fantasia vermelha, mas prefiro formas mais tradicionais de dieta. Então, somei uma pitada de empreendedorismo e detectei uma faixa da economia pouco explorada neste final de ano.

Resolvi me alugar para as festas. A mercadoria – no caso, eu, o personal Christmas friend – convive com você na ceia do dia 24 de dezembro, mais o almoço do dia seguinte. A comida é por sua conta. Meu trabalho é cumprir certas tarefas – ou trabalhos sujos – que você detesta, mas é obrigado a fazer nesta época do ano. É felicidade garantida ou a hipocrisia de volta.

Se estiver satisfeito, acerte uma taxa extra de 30% mais impostos, que o serviço é automaticamente estendido para o Reveillon e primeiro dia do ano seguinte. Se o trabalho não estiver a contento, basta que ambas as partes assinem a recisão contratual, sem multa ou quaisquer outros tipos de indenização.

O serviço inclui, por exemplo, tirar fotos com a família. Posso ser o parente distante, o amigo da última hora ou o namorado da sobrinha. Faço até coração com as mãos, se necessário.

O pacote prevê elogios ao pernil de todos os anos da sua sogra. Posso também conversar com o primo insuportável, que você encontra apenas uma vez por ano. Discutiremos futebol e virarei torcedor do time dele, exceto o Palmeiras. Natal não é dia de melancolia, como reza o protocolo.

Resolvo também o problema de presente. Se for amigo secreto, é mais fácil. Basta que você forneça informações básicas do sujeito sorteado. Ele ganhará um vale CD, DVD ou livro. Será compatível com a maioria, o que reduz a zero a chance de marmelada.

Se o cliente estiver sem tempo para comprar presentes para a mulher ou para o sogro, seus problemas acabaram. Lingerie branca para esquentar o Reveillon (deixe-a acreditar que 2013 será diferente depois sete ondas!) e vinho ou whisky estarão no pé na árvore de Natal antes que os convidados percebam. A procedência da bebida (e da lingerie) varia conforme o combo adquirido pelo freguês.

O pacote vem com trilha sonora. Cantaremos juntos as músicas natalinas da Simone. Depois, animarei as titias no especial do rei Roberto Carlos. Levarei a listagem das músicas – as mesmas todos os anos – e podemos chorar diante de tantas emoções.

Sua namorada tem 20 aninhos? Deseja se enturmar com sua filha adolescente? Dançamos “Gangnam Style” e cantamos as últimas do sertanejo universitário. Se precisar, posso te encontrar um dia antes para ensaiarmos as coreografias. O serviço não inclui funk ou bandas de rock coloridas.

Mediante taxa extra de insalubridade, tomamos conta – depois da uma da manhã – do tio cachaceiro. Falaremos mal dos políticos. Afinal, somos treinados para a escuta. Há kit de primeiros socorros, em caso de risco de coma alcoólico. Chamar a atenção atrapalha a imagem da empresa.

Serei invisível na lavagem de roupa suja, no final da festa. Bastidores de família ou queixas sexuais e financeiras serão tratados com discrição. O contrato estabelece cláusula de confidencialidade. Nada será revelado, publicado em Facebook ou veiculado em You Tube.

Como pagar pelo serviço? Você pode parcelar em três vezes no cartão ou via boleto bancário. Dependendo da sua condição socio-econômica, aceito vale refeição e cartões de ônibus como uma das prestações.

O primeiro pagamento seria apenas depois do Carnaval. Trabalhamos também nos quatro dias, incluindo a Quarta-feira de Cinzas. Mas aí o pacote é de outra natureza, mais íntimo. Como me especializei em confraternizações de final de ano, posso indicar outros sócios-consultores. Sem custo adicional, é claro.

5 comentários:

Sylvia disse...

Marcus,
Se você oferecesse no combo lavar louça eu fecharia um contrato exclusivo! Mas... em 2013 espero continuar lendo suas crônicas e reforço meus agradecimentos. Um grande abraço de Sylvia Bittencourt

Lenir Pereira disse...

adorei isto !!! vc é muito bom mesmo !!! feliz natal e grande abraço

Anônimo disse...

Marcão, agora você brincou com fogo: "tio cachaceiro é a..." rsrsrs Feliz 2013, amigão! (Calafiori).

Marcio Dias disse...

Marcão! Vc criou um serviço de utilidade pública. Poderia fundar uma OSCIP, apresentar esse projeto para o governo, e salvar muitas reuniões natalinas. Diminuiriam as estatísticas de traumas "pós-natal", que incluem a descoberta que papai noel não existe, que o emprego do seu pai é pior que o do seu tio, e que sua mãe não casou virgem... (rsrsrs) Como no SUS, poderia tb oferecer um programa "pré-natal", que seria para ensinar as pessoas que existe o "dia 26". Assim, saberiam que tudo o que a pessoa falar (ou agir) no natal, poderá (e deverá) ser usado contra ela no tribunal (online familiar. Feliz Natal, Marcão!

tenshilivis disse...

faço minhas as palavras da Sylvia XD

=*** feliz 2013