segunda-feira, 26 de julho de 2010

Ensaio sobre a cegueira

Eu não aprendo. Confesso que me rendo à teimosia de acompanhar o noticiário, ler blogs, ouvir e ver comentaristas com a esperança de entender a convocação da seleção brasileira. A cada nome citado pelo técnico, fica mais claro o quanto somos vítimas de estelionato futebolístico. Um festival de chutes para a linha lateral.

A sensação é de que as diferenças entre os programas da TV e o boteco se resumem às câmeras que transmitem as conversas e ao formato geométrico das mesas. Em volta de redondas e quadradas, todos palpitam, raros acertam.

Nas horas que antecederam a primeira lista de Mano Menezes, procurei me informar sobre os prováveis convocados. Esquemas táticos e possível time titular entraram na pauta. Nas palavras ditas e escritas, a certeza absoluta de que fulano e beltrano participariam do primeiro amistoso, contra os Estados Unidos.

Um comentarista de TV, por exemplo, jurava como virgem diante do altar que o lateral-esquerdo Roberto Carlos, do Corinthians, seria chamado. Uma forma de premiar o jogador de 37 anos. Não seria incoerente com a palavra de ordem “renovação”?

Desconfiado, decidi que era prudente ouvir uma segunda opinião. O comentarista da emissora concorrente, com a habitual cara de pretendente perfeito da mamãe, escalou os 11 titulares. No ataque, Fred, do Fluminense. Uma hora depois, li em um portal que o jogador estava machucado. Ficaria de molho por 20 dias.

Em vários veículos, os jornalistas falavam, com a convicção dos maridos traídos, que os 23 convocados jogam no Brasil. E que São Paulo e Internacional não cederiam atletas. Três disparos piores do que criança em tiro ao alvo de quermesse.

A lista veio com 24 nomes. Metade atua na Europa. E São Paulo e Internacional tiveram um jogador convocado cada. O time que passar à final da Libertadores terá o atleta cortado.

Depois, vem a análise. A palavra renovação foi substituída por surpresa. Quem se surpreendeu? Os jornalistas, comentaristas e palpiteiros de plantão? Alguém sabia da lista de antemão? Nos rostos dos analistas, a reprodução torta de Macaulay Culkin, e a eterna expressão de surpresa do menino esquecido em casa.

O goleiro Renan, do Avaí, de 19 anos e 14 jogos como profissional, tem o direito de não acreditar. Virou número 1 da equipe depois da Copa. Pensou que fosse pegadinha dos colegas de time!



Ficamos surpresos porque não sabemos de algo, claro. Mas também nos sentimos enganados quando, no alto da arrogância, os fatos não atendem ao que desejamos ou gostaríamos de impor.

O passado recente condena os sócios da Mãe Dinah, com seus microfones e canetas. E desgraça aqueles que não observam e fingem escutar as palavras (ou recados) do técnico nas entrevistas.

Antes da Copa do Mundo, qualquer grupo em mesa de boteco produzia uma lista de 23 nomes. As preferências variavam. Entre os favoritos, Neymar e Ganso, há seis meses na vitrine. Na TV, o então técnico Dunga pregava coerência. Ninguém deu ouvidos. Muitos preferiram fazer biquinho para as respostas atravessadas diante de perguntas por vezes maliciosas.

No dia da convocação, o óbvio dolorido. 22 dos 23 nomes eram idênticos do último amistoso antes do Mundial, mais o goleiro Gomes, que visitou a equipe no hotel antes do jogo.

A primeira chamada de Mano Menezes reforça o quanto não se vê futebol. Um comentarista dizia assim:

- Prestem atenção neste zagueiro David Luiz, do Benfica.

E não deu mais informação alguma sobre o jogador.

O mesmo comentarista foi adiante:

- Esse Ederson, do Lyon, eu não conheço tão bem.

Se houvesse legenda, a tradução seria: nunca viu o sujeito jogar.

E corre todo mundo para o Google atrás de dados pessoais dos jogadores novatos.

Diante das informações limitadas, resta uma saída: apelar para os achismos, as opiniões subjetivas que garantem a polêmica.

- Não concordo com os dois goleiros. Por que convocou os dois? Quem é Renan, do Avaí?

- E Jucilei, do Corinthians? Nem titular é.

Por essa, até o próprio Jucilei não esperava. Comprava roupas na hora da convocação.

Há, por último, a saída pela esquerda, a la Pantera cor-de-rosa. Neste caso, prevalece repetir o previsível. Como disse um jornalista:

- Justiça feita! Neymar e Ganso na seleção. André é uma surpresa.



Com tanta bola fora, penso que feliz é uma grande amiga que, anos atrás, pensava que o atacante Muller era goleiro do Santos. Na última Copa do Mundo, ela se surpreendeu ao descobrir, não sem me contestar, que Cristiano Ronaldo não era brasileiro.

Minha amiga e Mano Menezes tem algo em comum: riem – ainda que às escondidas - dos cegos que se julgam visionários.

3 comentários:

Daniel BS disse...

Não concordo qto ao Neymar. Alias, concordaria se fosse a 3 meses atrás. Mas infelizmente, este perdeu seu futebol na arrogancia e prepotencia de um cara que ainda se diz Cristão. Muita firulinha sem objetividade, individualismo e excesso de estrelismo.

Ganso? Muito mais que merecido, É JUSTIÇA. MUITA JUSTIÇA PARA ESTE, QUE É UM GENIO SIM DA BOLA E DIFERENTE DE NEYMAR, NAO SE ACHA FILHO DE PELÉ e subrinho de Robinho. Ganso é craque, seu futebol é maravilhoso e joga com objetividade, joga pra frente e sem aparecer muito para as cameras para a torcida... ele joga para os outros para o time.

André? Bom, vo ser sincero, este aqui merece? Não... Mas prefiro nao comentar muito. Acho que Ganso e Neymar qdo era mais objetivo fizeram o nome deste garoto.

Tardelli é merecido? Na minha opinião, sim... Ao contrario de todos que criticam, principalmente aqueles que não acompanham o futebol e não veem a evolução deste cara que tem jogado um futebol bonito, objetivo e marcado gols... merece sim.

Hernanes? O Injustiçado tanto pela imprensa qto pelo Dunga... enfim foi convocado. Ele junto com o Ganso e Ramires.. vão dar muitas alegrias... Só acho que faltou AROUCA DO SANTOS... E EU NÃO SOU SANTISTA... MAIS UMA PROVA DE QUE O Q TO FALANDO DO NEYMAR nao é pq nao é do meu time, pq o arouca merece e é do santos.

Jucilei não merece... Ele é reserva do time do Corinthians, o mesmo comandado pelo técnico ai. Elias do mesmo corinthians, merecia muito mais. Bruno Cesar, o mesmo.

MAs se formos analisar a seleção como um todo.. foi boa a convocação. Mesmo com o Neymar, acho que talvez, a convocação faça bem pra ele e ele volte a brilhar nso gramados.

Quanto ao Ensaio sobre a cegueira, realmente, é uma verdade. Eu acabei de fazer isso. Dei meus pitacos, nunca estamos satisfeitos.. Sabe pq? Pq cada um tem sua opinião, sua seleção e sua escalção.

Vou te dizer Marcão, ainda acho que tdo vai voltar como era com o Dunga e os medalhões vão voltar pra seleção. Na era Dunga, só se falou em RENOVAÇÃO... ele renovou. Montou um time com gente desconhecida de muitos jogadores que os que se acham entendedores de futebol gostam de dar pitacos, mas n acompanham. Tinhamos até Afonso e Vagner Love, um outro volante que não me recordo o nome, mas acho que era com D... Outro atacante que era revelação do Internacional, jogou alguns jogos, jogou bem por sinal.. MAS SUMIU. Richarlyson, Hernanes, etc.

NO FINAL.. DUNGA CONVOCOU OQ?
ELE MUDOU TUDO...

FOMOS ENGANADOS
pq a mudança, voltando a mesmisse de sempre... não confio no Mano, não acho ele um bom técnico... e anota ai.. DOU DOIS ANOS PRA ELE CAIR... E NA COPA 2014 TEREMOS outro... só espero que não seja Parreira.

Daniel BS disse...

Perdão por alguns erros de PT, falta de acento, alguns erros de concordância, virgula, etc.

Fui escrevendo sem olhar, sem pausar. Depois que enviei que pude ver muita besteira escrita.

Abraços.

anacrisalmeida disse...

E não somos 130 milhões de técnicos?
Sé estou dando o número de eleitores....rs....se contar criança....dai a vaca atola de vez!!!
Que aliás é bem apropriado para o meio...um atoleiro de falcatruas e negociatas, e o povo achando que é circo!!!