quarta-feira, 10 de março de 2010

A preservação do santo

O goleiro Marcos, do Palmeiras, não é mais o mesmo. Pelo menos, dentro de campo. Mas não pague ingresso, leitor, para viajar na barca sem rumo dos apressados. Marcos é um sujeito de 36 anos, sem – por razões óbvias – os reflexos e a agilidade de quando tinha 26. Ou quando estava com 28, evitando que alemães e outros adversários atrapalhassem a trilha de sete vitórias seguidas e o título da Copa do Mundo de 2002.



A compensação vem pela experiência, pela capacidade de liderança, por saber usar o corpo para evitar gols, sem a necessidade de vôos que mais agradam os fotógrafos do que os especialistas na posição. Este é o caminho sagrado dos goleiros mais experientes. Goleiros fora de série passam por metamorfoses. Evoluem. Viram leitores precisos e independentes da dinâmica de jogo. Tanto que muitos deles terminam – depois da aposentadoria – no banco de reservas, vistos como estrategistas eficientes.

Marcos não está velho ou acabado para o ofício. Ele permanece milagreiro. Os toques sagrados apenas ficaram mais discretos. Temos que nos contentar com um santo menos espetacular, mais singelo e direto nas ações em campo. O goleiro veterano é um sujeito que conhece os atalhos, capaz de trabalhar, por exemplo, com os pés e outras partes do corpo (sinal de que o posicionamento melhorou, pois o goleiro está na trajetória da bola).

O problema, atualmente, é que o Palmeiras se transformou em um time mediano, sustentado por seu goleiro, além dos meias Diego Souza e Claiton Xavier. È – por força de promessas não-cumpridas, picuinhas da política interna e dirigentes que se mostraram comuns – o clube mais fraco dos quatro grandes de São Paulo. Sem os três jogadores, trata-se de um clube pequeno do interior do Estado.

Marcos sempre foi esquentado. É do tipo que os jornalistas, aqueles viciados em análise pontuais, adoram. Repetem as palavras do goleiro, as distorcem nos comentários dignos de boteco para se contradizer sem cerimônia no mesmo dia. É ótimo ter um líder que se importa. O goleiro é uma exceção no futebol, hoje marcado por contratos ignorados, jogadores que beijam múltiplas camisas, escalações de equipes que pouco se repetem e atletas esquecidos no semestre seguinte.

Marcos se importa. Suporta a dor física das lesões. Não diferencia clássicos de partidas contra os laterninhas. Trata o Parque Antártica como um templo, e não como um estádio. Marcos se importa por pensar no futuro do clube. Por se preocupar em formar novos goleiros. Em dar oportunidades a eles. Diego Cavalieri – hoje no Liverpool – é apenas um caso da fábrica de goleiros competentes. O Palmeiras não teve um goleiro ruim desde os anos 60.

É difícil manter-se sereno diante de um time que sua sangue para vencer o Sertãozinho e apanha de São Caetano e Santo André dentro de casa. Qualquer amante perde a compostura diante de um lar remexido por estranhos. Ainda mais se falhou em um dos gols.



Todos os grandes goleiros falham. Engolem frangos espetaculares. O torcedor deve temer os goleiros regulares. Eles serão sempre regulares. Nunca serão péssimos. Nunca serão excepcionais. Não fazem a diferença em momentos importantes. Não asseguram campeonatos quando as estrelas amarelam. Não fazem o atacante amaldiçoar o técnico por tê-lo escolhido para cobrar um pênalti.

Marcos atuou inúmeras vezes no sacrifício e pretende se sacrificar no próximo ano. Qual ídolo você conhece, leitor, que seguiria para o banco de reservas com o objetivo de formar o sucessor? Qual ídolo assinaria contratos de longa data, que prevê um cargo na comissão técnica, sem inflar o ego para comandar o time na beira do campo com pouca experiência?

Marcos sofrerá muito até o final do ano. A torcida, também. A dor não será por causa dele, mas será sentida em conjunto com o goleiro. A catarse será coletiva. A gestão atual do clube escolheu as mesmas estradas viciadas de outras agremiações. A política surrada do bom e barato não me parece suficiente para aproximar o Palmeiras das finais. Os sintomas da desorganização pipocam durante o Campeonato Paulista.

Infelizmente, o Palmeiras não aprendeu com o ano anterior. Perdeu o campeonato por possuir somente um time, e não um elenco. O Campeonato Brasileiro, com 38 rodadas, é longo e exige banco de reservas. Planejamento é fundamental. Ou, pelo menos, não tomar medidas trapalhonas. O São Paulo, com três títulos seguidos, é a evidência física mais cristalina. O Flamengo, em 2009, foi uma exceção, que confirmou a regra dos anos anteriores.

Marcos, o santo, sofrerá como todos que abrem mão de si por uma causa maior. Mesmo com a chance de milagres eventuais, o goleiro tem feridas demais, cicatrizes demais para salvar um clube que caiu na vala comum. E não terminará a carreira por baixo, como desejam os pessimistas. Terminará a carreira onde começou. Há ato maior de amor do que proteger a floresta mesmo quando ela pega fogo?

Crédito das fotos: divulgação

25 comentários:

Anônimo disse...

Belas palavras. Realmente o São Marcos será um ídolo eterno do Palmeiras. Joga por amor à camisa. Já provou isso várias vezes. Joga com o coração, veste a camisa com orgulho e ao mesmo tempo dá orgulho para os torcedores. Rara personalidade no mundo do futebol. Já deixou a sua marca e sempre sará lembrado pela nossa geração. Figuras como essa devem ser valorizadas e imortalizadas.

Leandrô/Lemão! disse...

Po cara, que belo texto. Não é pra pouco: se o Torero postou no blog dele o link, é porque tu manda bem mesmo.
Parabéns mais uma vez!

Fernando disse...

Parabéns cara, você escreve muito bem. Voce e o Torero, emocionante o texto. Parabéns!

vinicius norton ribeiro disse...

Marcos , vai ser sempre lembrado.... um goleiro que nunca deixa o time na mão... mesmo quando o time que está a sua frente, não tem a mínima competência pra vestir a camisa do palmeiras...
obs: SOU PALMEIRENSE, mais esse time que está aí não dá !!... salvo DIEGO SOUZA E CLEYTON XAVIER

Alexandre disse...

Talvez um dos maiores jogadores que este país já viu... Apesar dos maus tratos, mantem-se fiel a uma causa maior.
Belo texto.

Léo Bueno disse...

Bom caráter faz falta no futebol. Marcos tem-no, e além disso joga bem. Outro dia eu vi a briga da semana que a TV arrumou e fiquei pensando: com quem eu tomaria uma cerveja? Com o Neto e o Rogério Seni ou com o Marcos? A resposta é óbvia. Longa vida e mil elegias ao golerão que também é gente fina. Quero lembrar que, no basquete, o excelente Isaiah Thomas não foi chamado para o maior Dream Team de que se tem notícia, aquele com Michael Jordan, Magic Johnson e Scot Pippen. Por quê? Veto de Jordan. Não importa. Eu tomaria cerveja com Thomas, que jogava bem e é gente fina, e o Jordan que se... deixa pra lá. Marcos é bom e é boleiro. Os outros vão terminar sua carreira e seguir décadas ligando para agentes e esnobando manobristas. Há uma diferença. Quem assina sou eu, um corintiano de alma.

MARCIO CORREA disse...

Parabéns pelo texto! Assim como Garrincha, o goleiro Marcos é melhor que o Édson e pior que o Pelé. São poucos os ídolos que conseguiram ser tão originais, humildes e arrebataram tantos fãs como estes dois. Ambos dominaram a arte dentro das quatro linhas sem serem mascarados como o próprio Rei Edson ou o baixinho marrento.

Odair disse...

Sensacional, sou santista e quero dizer que o Marcos não é um ídolo da torcida palmeirense, ele é um ídolo de todas as torcidas, merece o respeito do torcedor brasileiro por tudo que fez dentro de campo, ou pelo Palmeiras ou pela Seleção brasileira.

Anônimo disse...

Belo texto, mas que me causa náuseas simplesmente porque quando o Corinthiand foi ebeixado nignuém o taxu de 4ª força, quando o Santos a 2 anos estava numa draga ninguem o taqxou de 4ª força... esse termo só serve para o Palmeiras?

Queria entender o critério utilizado, pode me explicar?

Aldemir disse...

Parabéns por este emocionante texto.. Fantástico, maravilhoso.. Tenho a felicidade de poder mostrar ao meu filho Palmeirense que o time que eu ensinei ele a amar é feito por jogadores como o Marcos..

marcal-nakata disse...

Parabéns pelo belo texto.

Helder disse...

Excelente, espero que o Marcão leia isso!

Bruno Bertin disse...

Parabéns pelo texto! Sou são paulino mas acima de tudo, apaixonado pelo Futebol puro! O que é isso??? É o futebol na sua essência como um momento de magia! O Goleiro Marcos é um ídolo nacional e não apenas dos torcedores do Palmeiras porque dedicou a vida a contribuir para esse mesmo futebol cristalino que você também menciona no texto!
Viva o Marcos e todas as pessoas de bem!!!
Grande Abraço
Bruno

Anônimo disse...

MARAVILHOSO!

José Tadeu Pereira disse...

Belíssimo texto. Pessoas como o Marcos estão ficando cada vez mais raras. Pessoas que entendem o senso do coletivo e que se doam para que todos consigam chegar à frente juntos.
Infelizmente a diretoria do Grande Palmeiras é muito pequena para o clube que traz em sua história tantas glórias e por onde passaram verdadeiros gênios do nosso futebol.
Brigas políticas, interesses de grupos e pessoas que somente olham para o próprio umbigo, sempre pensando "o que 'EU' ganho com isso?" estão levando o clube a apequenar-se cada vez mais.
Felizmente, por outro lado, vemos a figura do Marcos que traz, em sí, a esperança de que nem tudo está perdido. Mas é preciso mudança de mentalidade imediata.
Este que escreve acompanha o Palmeiras há muito tempo e vê, impotente, as coisas tomarem o rumo errado.
Abraço a todos.

alcides villaça disse...

O Marcos tem muitos fãs à altura dele - seu texto o comprova. Bravo!

alcides villaça disse...

O Marcos merecia muito um texto como o seu. Bravos a você e a ele.

Anônimo disse...

Belo texto. So pra ser chato, no entanto, vai o pitaco: catarse sempre eh coletiva. Nao precisa se esforcar com vocabulario que nao domina. Sua estrutura eh boa e o texto flui bem.

Anderson Santos disse...

Maravilhoso o texto. Marcos é a personificação em campo da torcida, nossas alegrias e nossas raivas. Além do principal, é honesto demais para esse mundo calhorda do futebol atual.

hilda disse...

Sensacional o seu texto! Sou fã do Marcos, mas fã ainda maior de bons escritores que, como você, conseguem expressar sentimentos e opiniões de maneira clara e até poética! Parabéns pelas palavras e parabéns ao Marcos, que com sua postura sempre coerente e séria arrebata nossos corações!

Ricardo Gomes disse...

Belíssimo texto. Emocionante e bem escrito. Sou jornalista, palmeirense e fã incondicional do goleiro Marcos. Por essas três características você acaba de ganhar um leitor (espero) assíduo.
Um abraço, Ricardo Gomes

Anônimo disse...

Inacreditável, como bom palmeirense q sou, me emocionei com suas palavras!! São Marcos é imortal! o Marcos um dia vai morrer mas o São Marcos nunca irá morrer nos corações dos palmeirenses! Ele é ídolo, exemplo, meta, etc,...etc..

Anônimo disse...

Sou santista mas o unico jogador de outros times que invejei foi o São Marcos.O Marcos marcou história no futebol pelo seu jeito de ser, pela sua qualidade no gol e como líder.O brasileiro numca vai esquecer as defesas do Marcos na copa de 2002, principalmente contra a Inglaterra, ainda protagonizou umas das cenas + bonitas do futebol foi quando defendeu o penalti de Marcelimho Carioca, as galinhas pretas choram até hoje pela defesa do São Marcos.

Daniel Zaire disse...

Parabéns pelo texto, realmente é praticamente impossível ver torcedores em campo como o Marcos, ou simplismente atletas que se identifiquem com um clube. Tenho 26 anos, e com certeza ele é o maior idolo alviverde que vi jogar! E será por muito tempo sei disso...até mesmo treinando goleiros, terei a certeza que o melhor do mundo estará no meu verdao!

Alguém disse...

bixo, que texto lindo.
parabéns!